Archive for dezembro \23\UTC 2008

Alegria

dezembro 23, 2008

 Alegria Vida e Força

 

Leia o Livro ; )
Conscientização de Paulo Freire

 

 
“… O 11 é um Número Mestre que representa a intuição, o idealismo, a busca de um plano espiritual elevado, desenvolvimento da percepção extra-sensorial, ouvir e seguir a voz interior, agir com altruísmo, inspiração, senso de comunidade, paz, justiça e amor universal.”
“…É o que viemos conquistar no ano de 2009, a maestria 11… CONSCIÊNCIA! Aprender a viver a vida através do Amor, da compreensão de nós mesmos e do outro, expressando o amor universal por tudo que está a nossa volta!”
“…A Força, que traz o autocontrole, a força moral necessária para dominar as emoções e paixões. Os aspectos mais elevados do ser (intelectual e espiritual) submetem o lado animal (emoções e instintos). A energia mais instintiva integra-se com a energia mais elevada e a integração destes opostos e complementares gera o brilho, a vitalidade, o entusiasmo pela vida em todos os aspectos e a expressão da criatividade.” 
“O ano de 2009 é o ano 11, o ano da CONSCIÊNCIA!!!”
por Ingrid Dalila Engel


CRIME no Quilombo Urabano dos Alpes em Porto Alegre/RS
CRIME no Quilombo Urbano dos Alpes em Porto Alegre/RS
 
As mortes ocorreram dentro da própria comunidade e foram praticadas por um indivíduo que fugiu do local e já havia sido denunciado por ameaçar as famílias, conforme relato da própria polícia. O sujeito da foto em anexo é o responsável pelo assassinato dos dois quilombolas e pela tentativa de homicídios  da Janja, Presidente da Associação Quilombola dos Alpes. Ele se chama Pedro Paulo Back e continua solto. Pedimos a todos (as) que divulguem essa foto na rede, caso o identifiquem, entrem em contato com a polícia pelo 190.   
 O Crime 
Lideranças do Quilombo dos Alpes são assassinadas em Porto Alegre 
No dia 4 de dezembro, por volta das 13h30min, a Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes foi brutalmente atacada. Dois líderes quilombolas foram assassinados: Joelma da Silva Ellias (Jô, 36 anos), diretora de eventos e membro do conselho fiscal da Associação do Quilombo dos Alpes, e Volmir da Silva Ellias (Guinho, 31 anos), vice-presidente da Associação do Quilombo dos Alpes. O assassino ainda deixou ferida Rosangela da Silva Ellias (Janja), presidente da associação. O ataque ocorreu dentro da comunidade. Volmir e Joelma foram alvejados pelas costas. Segundo a comunidade, o assassino é Pedro Paulo Back, conhecido como Alemão, que morava na área do quilombo e há algum tempo vinha ameaçando as lideranças.

Na manhã desta segunda-feira (8), representantes das Comissões de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa, da Câmara de Vereadores e diversas entidades ligadas ao movimento negro e aos quilombolas realizaram uma manifestação em frente ao Palácio da Polícia. Exigem que a Polícia determine a busca do assassino das duas lideranças. Além disso, pedirão à Polícia Federal para acompanhar o caso. Na quarta-feira, haverá uma missa, às 19 horas, no Quilombo dos Alpes. Na quinta, será realizada uma audiência pública na Câmara de Vereadores. Cerca de 70 famílias vivem no Quilombo dos Alpes Dona Edwiges, localizado no morro dos Alpes, na região da Grande Glória, zona sul de Porto Alegre.

Até agora, o caso está sendo praticamente ignorado pela imprensa de Porto Alegre que dedica total prioridade ao assassinato do médico Marco Antônio Becker, branco, de classe média alta. 
 

Manifesto em Defesa das Comunidades Quilombolas

O Movimento Negro e Quilombolo  Estão de Luto.

 

 Ontem, quatro de dezembro, por  volta das 13:30h. a Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes  foi, mais uma vez, brutalmente atacada.  Desta vez o preconceito e a intolerância ceifaram a vida de dois líderes do movimento quilombola gaúcho: Joelma da Silva Ellias (Jô, 36 anos) Diretora de Eventos e membro do conselho fiscal da Associação do Quilombo dos Alpes e Volmir da Silva Ellias (Guinho, 31 anos) – vice-presidente da Associação do Quilombo dos Alpes, foram brutalmente assassinadas, além de deixar ferida Rosangela da Silva Ellias (Janja) – Presidente da Associação dos Moradores do Quilombo e tentar contra a vida de mais um dos membros desta comunidade.

O ataque ocorreu dentro da comunidade, sendo que Volmir e Joelma foram alvejados pelas costas.  Segundo a comunidade o assassino Pedro Paulo Back, conhecido por alemão, morava na área do quilombo e já algum tempo vinha ameaçando as lideranças.  No domingo dia 30/11 ele disparou diversos tiros contra comunidade afirmando que: “o que esta negrada esta pensando, vou matar esta negrada”. 

Diante desta ameaça, a presidenta da Associação denunciou o fato ao INCRA que, por sua vez pediu que a comunidade procurasse o Ministério Público Federal. 

Cabe salientar que a comunidade tomou todos os procedimentos legais, não havendo por parte do estado nenhuma ação em defesa e proteção do quilombo.

A Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes a partir de Janeiro de 2005 foi auto reconhecida e Certificada pela União através da Fundação Cultural Palmares desde então,    passa a ter sob a sua posse uma vasta área de terra, segundo indicação da comunidade, aproximadamente 142 hectares.

            Se antes a especulação imobiliária confinara a comunidade em uma área restrita de terra, hoje ela já pode desfrutar de boa parte das terras ocupadas pelos seus ancestrais.  A finalidade da terra para esta Comunidade Remanescente de Quilombos é inconciliável com a destinação dada pelas empresas de especulação imobiliária, que buscam lotear a área ao passo que os quilombolas há mais de cem anos ali estabelecidos desenvolveram uma relação de preservação com o meio ambiente, especialmente da mata de onde advém parte do seu sustento e dos veios de água.  Desta forma impedindo que o local seja utilizado como depósito de lixo e evitando incêndios criminosos.  As  oitenta famílias quilombolas  vivem em situação de completo descaso por parte do Estado através da omissão e morosidade no processo de regularização dos territórios quilombolas.

 

Os conflitos no quilombo dos Alpes vem ocorrendo sistematicamente desde que a comunidade se auto declarou quilombola. A partir deste momento tem inicio um processo de disputa pelo território por parte de moradores não quilombola(posseiros) e dos especuladores imobiliariarios com a conivência de órgãos da segurança pública.  O acirramento desde processo redundou nesta chacina

A demora do processo de regulamentação do território quilombola vem acirrando os conflitos inerentes à disputa pela terra.

Diante destes fatos a comunidade negra do RGS exige providencias dos governos federal, estadual e municipal, no sentido de fazer cumprir o artigo 68 ADCT da Constituição Federal.

 De imediato requerem: proteção da policia federal e o respectivo acompanhamento do inquérito policial; 

Imediata titulação do território quilombola.

Subscrevemo-nos

 

Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes – Dona Edwiges

Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Família Silva

Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Luiz Guaranha

Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Família Fidelis

Rede Quilombos do Sul

FACQRS – Federação das Associações das Comunidades Quilombolas do RS.

Akanni – Instituto de Pesquisa e Assessoria em Direitos Humanos, Gênero, Raça e Etnias.

IACOREQ – Instituto de Assessoria as Comunidades Remanescentes de Quilombos

MNU – Movimento Negro Unificado

FORMA – Fórum Estadual de Religiosidade de Matriz Africana

UNEGRO – União de Negros Pela Igualdade Racial

SECRPTRS – Secretária Estadual de Combate ao Racismo PT/RS

Denúncia e Revolta

dezembro 5, 2008

A Guerra Continua…

e também continuam existindo aqueles que lutam…

Frans Krajcberg (Kozienice, 12 de abril de 1921)

é pintor, escultor, gravador e fotógrafo,

nascido na Polônia e naturalizado brasileiro…

Sua família foi morta pelo nazismo.

 

Em palestra na OCA/SP ele conta quando entrou num campo de concentração e viu um monte, uma montanha, uma montanha de gente morta esperando para ser encinerada. Conta quando entrou na selva e viu uma árvore com índios pendurados pelo pescoço, e diz: “é isto que gostaria de mostrar a vocês”.

 

krajcbergcommarca

 

< Krajcberg já tinha participado com pinturas de uma Bienal de São Paulo e de um Salão Paulista quando foi morar no meio da mata, como empregado das Indústrias de Papel KIabin. Lá viu a primeira queimada. E lá também teve certeza de que sua obra nunca mais seria a mesma.

– Meu primeiro pensamento foi: “A guerra continua” – diz. – Havia dias em que era tanta fumaça que não se conseguia ver a luz do sol. O cenário, aquela terra arrasada pela destruição, era o mesmo dos campos de batalha. E me perguntava que ser terrível era o homem, capaz de fazer aquilo. A arte foi a maneira que encontrei para reagir.

 

franzkrajcbergadrianavichifotografia Adriana Vichi

 

Para escultor, fotografia é meio de registrar 
os abusos contra a natureza que o país não vê >

fonte infolink

 

 

Ainda na palestra na OCA/SP, Krajcberg atenta para o fato de não esquecermos que não é só a mata que se está queimando, os animais e os homens também, o que está acontecendo com a população destes territórios?! 

 

A guerra está por toda parte…

 

13cid6f4

Galdino Jesus dos Santos, também conhecido como “índio Galdino“, foi uma liderança do povo indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe que foi queimado vivo enquanto dormia num abrigo de ônibus, em Brasília, em 20 de abril de 1997, após participar de manifestações pelo Dia do Índio, num crime que chocou o Brasil. O crime foi praticado por cinco jovens de classe média-alta daquela cidade.

fonte Wikipedia

 

teiadiganaoweb

Do Santuário Sagrado dos Pagés

querem fazer um condomínio de luxo…

é a mais pura e cruel especulação mobiliária, vai querer? 

veja o blog oficial

saiba mais aqui